Quem sou eu

Minha foto
Campinas, São Paulo, Brazil
Psicólogo Clínico Junguiano com formação pela Unicamp, terapia corporal Reichiana, Hipnoterapeuta com formação em Hipnose Ericksoniana com Stephen Gilligan.E outras formações com Ericksonianos: Ernest Rossi, Teresa Robles, Betty Alice Erickson. Formação em Constelação Familiar Sistémica pelo Instituto de Filosofia Prática da Alemanha. Uma rica e inovadora terapia divulgada em toda Europa. Professor de Hipnoterapia, além de ministrar cursos de Auto-conhecimento como Eneagrama da Personalidade e Workshop de Constelação Familiar Sistémica em todo o Brasil. Clínica em Campinas-SP. Rua Pilar do Sul, 173 Chácara da Barra. Campinas-SP F.(19) 32950381

Uma relação de ajuda

Como é bela, intensa e libertadora é a experiência de se aprender a ajudar o outro. É impossível descrever-se a necessidade imensa que têm as pessoas de serem realmente ouvidas, levadas a sério, compreendidas.
A psicologia de nossos dias nos tem, cada vez mais, chamado a atenção para esse aspecto. Bem no cerne de toda psicoterapia permanece esse tipo de relacionamento em que alguém pode falar tudo a seu próprio respeito, como uma criança fala tudo "a sua mãe.
Ninguém pode se desenvolver livremente nesse mundo, sem encontrar uma vida plena, pelo menos...
Aquele que se quiser perceber com clareza deve se abrir a um confidente, escolhido livremente e merecedor de tal confiança.
Ouça todas a conversas desse mundo, tanto entre nações quanto entre casais. São, na maior parte, diálogos entre surdos.
Paul Tournier.

domingo, 25 de outubro de 2015

Lore

"Lore" explora as crenças do alemão nazista no recente período pós-guerra. 
Conduzido e roteirizado de maneira impecável pela australiana Cate Shortland, "Lore" oferece um diferenciado ponto de vista sobre a Segunda Guerra Mundial, e mais especificamente sobre o nazismo.

A história conta a peregrinação da jovem alemã Lore, que após ser "abandonada" por seus pais - membros do partido de Hitler e fortemente envolvidos com os ideais do exército -, foi obrigada a atravessar parte da Alemanha em busca de refúgio, e isso levando seus quatro irmãos menores com ela, sendo um deles uma criança de poucos meses de vida.

Através de argumentos reflexivos, ofertados de forma bastante clara pela diretora Shorthland, podemos perceber a tênue linha que separava (na época) o fanatismo do nazista patriota, daqueles que apenas apoiavam seu país (e consequentemente seu Führer) em um conflito mundial. O povo alemão, que com o fim da guerra não pertencia a lugar nenhum - mesmo dentro de suas próprias casas -, observava incrédulo a verdade por trás das atrocidades de Hitler. Para muitos, aquele massacre divulgado por meio de fotos era uma mera montagem dos americanos. 

Mas para Lore tudo culminou em uma experiência perturbadora. A pobre garota simbolicamente representa a parcela da população alemã que, de certa forma, se mantinha (ou era mantida) alienada à guerra. A bela menina de olhos azuis, quando saiu para seu verdadeiro calvário, ainda era uma criança, que pensava não gostar de judeus porque seus pais assim lhe ensinaram - no entanto seus valores e sentimentos são fortemente testados quando a mesma é auxiliada por um sobrevivente dos campos. 

No final, descobrir e vivenciar todos estes podres de sua nação, durante uma trajetória exaustivamente cruel, e por um local que se tornara praticamente sem lei, foi algo intenso, doloroso e visceral. Altamente recomendado.

Lore: Alemanha, Austrália, Reino Unido/ 2012/ 109 min/ Direção: Cate ShortlandElenco: Saskia Rosendahl, Nele Trebs, André Frid, Mika Seidel, Kai-Peter Malina, Nick Holaschke, Ursina Lardi, Hans-Jochen Wagner

por 

Nenhum comentário:

Postar um comentário